Skip to content

In Memoriam

12 de agosto de 2012

Este é um poema de Mary Elizabeth Frye que resolvi compartilhar. A tradução, feita às pressas, é minha. Abaixo, o texto no original.

Não Fique Sobre Meu Túmulo e Lamente

Não fique sobre meu túmulo e lamente,
Não estou lá; não estou dormindo.

Sou mil ventos que sopram,
Sou o brilho de diamante na neve,
Sou o sol sobre o grão maduro,
Sou a chuva gentil no outono.

Quando você acordar no silêncio da manhã,
Sou o barulho elevado e suave
De pássaros serenos voando em círculos.
Eu sou a estrela noturna de brilho suave.

Não fique sobre o meu túmulo e chore,
Eu não estou lá; não morri.

———————-

Do Not Stand At My Grave And Weep
By Mary Elizabeth Frye

Do not stand at my grave and weep,
I am not there; I do not sleep.

I am a thousand winds that blow,
I am the diamond glints on snow,
I am the sun on ripened grain,
I am the gentle autumn rain.

When you awaken in the morning’s hush
I am the swift uplifting rush
Of quiet birds in circling flight.
I am the soft star-shine at night.
Do not stand at my grave and cry,
I am not there; I did not die.
Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: